Grécia Antiga – Sociedade e Cultura

O que é 0

Estudar e conhecer as antigas civilizações e sociedades que se formaram há séculos é de extrema importância tendo em vista que as mesmas deixaram legados imprescindíveis às sociedades contemporâneas, sem contar a riqueza cultural que cada sociedade e civilização tinha de peculiar, que ao longo dos séculos, se fundiram, e de alguma maneira influenciaram as civilizações e sociedades contemporâneas. Nessa perspectiva, não podemos deixar de conhecer, pelo menos um pouco, a sociedade, a cultura e a política da Grécia Antiga, por exemplo, que tem hoje clara influência em nossa sociedade.

A Grécia Antiga teve sua sociedade formada por uma mistura de povos e culturas diversas. Chegaram à Península Balcânica ( região em que se encontra a Grécia), ainda no II milênio a.C., povos oriundos da Ásia Central. Os primeiros a chegar foram os Aqueus, que construíram cidades como Argos e Micenas; já em 1700 a.C. chegaram os Jônios e Eólios, que sem grandes conflitos se integraram aos que ali já habitavam. As cidades cresceram e junto as atividades comerciais, tanto que por volta de 1400 a.C. os Aqueus expandiram suas atividades comerciais pelo Mediterrâneo e a Ásia Menor. No entanto, a formação do povo grego, só se concretiza definitivamente com a chegada de povos arianos, os Dórios.

Formação da Grécia Antiga

Para se entender melhor a formação da Grécia Antiga, vamos usar mão de divisões feitas pelos historiadores. A história da Grécia Antiga é dividida em 4 períodos: Pré-Homérico, Homérico, Arcaico e Clássico. Essa divisão faz sentido uma vez que corresponde a acontecimentos marcantes que trouxeram mudanças irreversíveis à sociedade grega. Vamos explicá-la.

O período Pré-Homérico ( século XX ao XII a.C.) corresponde à fase de formação do povo grego, durante o qual ocorreu a invasão dos povos arianos. A chegada dos Dórios à região é o marco final desse período, uma vez que reconfigurou a sociedade vigente, portanto, com a chegada desse povo tem início o período Homérico, que se estende até o século VIII a.C. Os Dórios eram um povo tipicamente guerreiro e com a sua chegada devastaram as cidades e provocaram a dispersão do povo que ali habitava para a Ásia Menor e Mediterrâneo. Essa dispersão ficou conhecida como a 1ª Diáspora Grega; foi um período marcado pela diminuição da vida urbana, dando lugar às pequenas comunidades rurais (genos) formadas por famílias extensas comandadas pelos patriarcas. Esse período é chamado de Homérico, pois as fontes de estudo são os poemas de Homero, a Ilíada e a Odisséia.

Período Arcaico e a Configuração da Grécia Antiga

O período Arcaico que se estende até o século VI a.C. tem início com o aumento populacional e a insuficiência agrícola dos genos, que provoca além da desintegração dos mesmos como uma segunda dispersão da população na procura de novas terras. Essa dispersão ficou conhecida como a 2ª Diáspora Grega. A desintegração dos genos deu lugar à Pólis (Cidade-Estado), configurando a organização típica da Grécia Antiga. Surgiram nesse período as 2 Pólis mais importantes da Grécia Antiga: Atenas e Esparta.

O período Clássico que vai até o século IV a.C. teve seu início e fim marcados, respectivamente, pela Guerra Greco-Pérsica e pela conquista da Grécia pelo Império Macedônico. Foram característicos desse período acontecimentos importantes, como: transformação das Leis que eram orais em Código Escrito ( Legislador Drácon) e a instituição da Democracia em Atenas (Legislador Clístenes), por exemplo.

E hoje, vemos o quanto importante e indispensável foi o legado da Grécia Antiga, principalmente, tendo em vista essas 2 transformações citadas acima, que até hoje são de extrema relevância para a fundamentação das sociedades contemporâneas.

Termos de Busca:

Leia Também:

Deixe um Comentário »