Osmose – Conceito e Exemplos

O que é 0

A Osmose é um processo físico em que ocorre a movimentação de um solvente, como a água através de uma membrana semipermeável, a qual permite a passagem de algumas moléculas como a molécula da água. Esse transporte de solvente na Osmose ocorre de um meio mais diluído em solutos ou chamado hipotônico para um meio mais concentrado ou chamado hipertônico até que a concentração nestes dois meios seja igual, passando a ser considerados meios isotônicos.

A Osmose é considerada um transporte passivo, pois não há gasto de energia e tem grande importância na natureza e na vida dos organismos, pois este processo ocorre em diversos sistemas vivos, como nas células vegetais e animais, incluindo as células que compõem o corpo humano.

A Osmose nas células

Quando o meio que está fora da célula, ou meio extracelular, é hipertônico e o meio intracelular é hipotônico, há perda de água pela célula no processo de Osmose e esta se torna plasmolisada ou murcha. Ao contrário, quando o meio extracelular é hipotônico e o meio intracelular é hipertônico, há o ganho de água pela célula e esta se torna túrgida ou cheia.

Todas as células animais e vegetais podem sofrer influência do processo de Osmose. Nos organismos aquáticos, este processo ganha maior importância, uma vez que dependendo da concentração de soluto no meio externo, as células podem perder ou ganhar água.

No caso dos organismos marinhos, tende a perder de água, uma vez que a água do mar apresenta uma maior concentração de soluto do que o meio intracelular. No entanto, esta perda é compensada pela produção de urina mais concentrada em sais. No caso dos organismos de água doce, ocorre o ganho de água, uma vez que o meio exterior é hipotônico com relação ao meio intracelular. Dessa forma, as células destes organismos possuem uma organela chamada vacúolo pulsátil o qual bombeia o excesso de água para fora da célula.

Exemplo de Osmose no dia-a-dia

O processo de Osmose pode ser observada em nosso cotidiano em diversas situações como quando, por exemplo, temperamos uma salada com sal. Neste caso, é adicionado ao meio extracelular, ou seja, fora das células que compõem os vegetais, uma quantidade de soluto, o sal, o que torna o meio hipertônico.

Com isso, o meio intracelular se torna hipotônico com relação ao meio extracelular e a água encontrada dentro das células dos vegetais atravessa a membrana plasmática para tornar o meio extracelular isotônico ao meio intracelular. É por isso que após um tempo do preparo da salada notamos que há o acúmulo de água no recipiente e que os vegetais ficam murchos.

Termos de Busca:

Leia Também:

Deixe um Comentário »